Notícias

    22/02/2016
    Entrevista: Trabalhadores voltam a ter vez e voz no Conselho de Administração da COSERN
    Por: Direção do SINTERN

    Representante dos trabalhadores no Conselho de Administração da COSERN, Pedro Damásio, concedeu entrevista para o Jornal A Luz após ter reassumido seu mandato no Conselho. Pedro Damásio havia sido afastado por decisão judicial controversa sobre o processo eleitoral. De volta ao mandato ele fala sobre as ações de seu mandato e das perspectivas de luta da categoria para os próximos meses. 

     

    Jornal A Luz – Como se deu o processo de admissão na representação dos trabalhadores no Conselho de Administração da COSERN?

    Conselheiro Pedro Damásio – Fomos eleitos em março de 2014 e tomamos posse em abril de daquele ano. No entanto, a insatisfação do nosso adversário em fase do insucesso eleitoral, levou o mesmo a interpor duas ações judiciais para suspender o nosso mandato em duas varas distintas, o que é conhecido nomeio judicial como gincanas jurídicas, artifício utilizado geralmente por alguns que não detêm um bom direito.

    Infelizmente por decisão de liminares equivocadas de uma juíza incompetente, fomos impedidos de exercer o mandato no Conselho de junho de 2014 até dezembro de 2015. Através de recurso, o Tribunal de Justiça reconheceu a incompetência dessa juíza e determinou que o processo fosse remetido para a vara de origem. O juízo dessa vara suspendeu a liminar o que restabeleceu o nosso mandato.

     

    Jorna A Luz - Que prejuízos a categoria teve com a ausência do exercício do mandato no referido Conselho?

    Conselheiro Pedro Damásio - Muitos! Veja bem! Sou dirigente sindical e tenho pautado  o exercício do mandato Conselho em sintonia com a direção do SINTERN, mas fora do exercício do mandato de Conselheiro ficou muito difícil fazer reivindicações que atendam os anseios daqueles que represento. 

     

    Jornal A Luz – Quais as primeiras ações do conselheiro após o retorno de suas funções?

    Conselheiro Pedro Damásio – Participamos de duas reuniões com a Neoenegia. Uma em dezembro de 2015 e a outra em janeiro de 2016, nesta ultima aproveitamos nossa estadia no Rio de Janeiro e solicitamos uma reunião com diretora de Gestão de Pessoas do Grupo Neoenergia, Lady Morais, para solicitar que a COSERN passe a adotar a aposentadoria por tempo de contribuição com a fórmula 85/95 para mulheres e homens respectivamente. O nosso pedido se resume que os trabalhadores, homens ou mulheres,  só se aposentem com o fator previdenciário igual a 1, sem perda no cálculo do benefício. Fiz a mesma solicitação quando da reunião do Conselho de Administração e estou aguardando a decisão da Cosern. Espero que o nosso pleito seja aceito e que o nosso mandato não seja mais interrompido, para que possamos desempenhar um mandato em defesa dos trabalhadores.